CNAF:: Testes físicos agitam novamente classe de arbitragem

Os testes físicos recentemente realizados pela Comissão Nacional de Árbitros de Futebol fizeram deixar para mais tarde a criação de uma elite de arbitragem nacional. Entre aprovações e reprovações, houve quem se visse forçado a desistir finalmente da actividade.

Texto: Redacção

Os árbitros profissionais foram recentemente submetidos a novos testes de aptidão física para o ajuizamento de jogos do principal escalão do futebol nacional.

As provas que juntaram em Maputo toda a nata de arbitragem nacional tinham por objectivo certificar os árbitros a serem escalados para as jornadas restantes da presente edição do Moçambola.

Da lista a que OC-Olho Clínico teve acesso brilham com luz muito própria nomes sonantes de árbitros que foram avaliados em baixa. Isto por um lado.

Por outro há os que preferiram evitar ir ao fogo. Uma situação, esta última, que preocupou bastante a CNAF que não só continuará a adiar a criação da almejada elite de arbitragem nacional, como também deixou ainda mais fina a curta lista de juizes disponíveis.

Dos que preferiram não ir ao fogo destaca-se o polémico Arlindo Silvano, um árbitro dono de um soar do apito que sempre atiçou protestos por ele passa. Um daqueles operários que estraga em tudo o que toca…

Ao que tudo indica, este membro da Comissão Provincial de Árbitros de Futebol a nível da cidade de Maputo decidiu em calças curtas forçar um ponto final à sua carreira, indo tão cedo à reforma com mais pena do que glória.

Ademais de Silvano, outros juízes de renome que faltaram aos testes – embora com motivos devidamente justificados – são Aníbal Armando, Salomão José, António Munguambe e Olinda Augusto, esta última por motivos de doença.

Uma onda extensa de reprovações

Se por um lado a lista dos que faltaram aos testes preocupa, por outro a CNAF ficou assustada com a onda de reprovações. É que é ela extensa.

Por ordem alfabética, vai desde Ema Novo, eleita árbitro regular da última edição do Moçambola até Zefanias Chijamela, um dos mais promissores de que o País se deve orgulhar.

A meio estão, entre os mais utilizados outrora, Paulo Jonas e Sérgio Lopes.

Arão Machava, Carlos Mussane e Wilson Matimissa são a par de Ema Novo os que já foram nomeados na presente edição do Moçambola que também reprovaram nos testes físicos.

Luís Tomás Jumisse de volta!

Quem finalmente superou o ostracismo a que estava votado é Luís Jumisse, que seis meses depois de reprovar já tem assegurada a retoma às nomeações da CNAF para o Moçambola. Com ele foi também aprovado Teófilo Mungoi, um jovem fiscal de linha…

Refira-se que uma nova sessão de testes de aptidão física será agendada para 10 de Julho no Estádio Nacional do Zimpeto.


[*Este conteúdo foi oferecido por http://www.jogabets.co.mz]

3 comments

  1. Os testes fisicos sao pertinentes para aferirem o estado fisico do arbitro.
    A arbitragem constitui uma profissao nobre no fututo, dai o estado fisico regular do arbitro e pertinente para a sua actuacao dentro das 4 linhas.
    Seja bem vindo os testes regulares fisicos na classe nobre da arbitragem

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s