AO SED: Sporting de Nampula e Maxaquene exigem subida político-administrativa ao Moçambola

Surgem reações de todo o lado à proposta do secretário de Estado do Desporto de colocar, por via administrativa, qualquer equipa da província de Cabo Delgado na próxima edição do Moçambola. O Sporting de Nampula e o histórico Maxaquene pedem também boleia da ingerência política no futebol nacional.

O presidente do Sporting de Nampula confessa estar atento ao ensaio da ingerência política que Gilberto Mendes diz pretender levar a cabo no futebol nacional de alto rendimento, ao que Mussito considera de “tal inclusão de uma equipa de Cabo Delgado”.

Entretanto, Mussito pede para que “não se esqueçam de incluir o Sporting Clube de Nampula nessa tal vaga de última de hora”, até porque, segundo refere, o clube leonino reúne todos requisitos para o efeito.

Fomos sacrificados por questões que todos sabemos. Ou seja, sofremos um plágio, um roubo catedrático, retumbante, estrondoso, monumental é vergonhoso”, descreve o líder leonino.

Adiante pede bom senso aos “senhores que tutelam o nosso futebol”, por forma a que empurrem também o Sporting de Nampula para acomodar os seus interesses políticos.

Do contrário, remata Mussito, “vamos todos bater-mo-nos na poeira, sem nada de trampolins na secretaria”.

Maxaquene reclama direito de repescagem ao Moçambola

Uma fonte do clube tricolor, ouvida pelo OC-Olho Clínico, diz que a haver uma solução político-administrativa para colocar algum clube no Moçambola, que o primeiro beneficiado seja o Maxaquene.

E argumenta: “o Maxaquene foi despromovido porque tiveram de cair cinco equipas. Não três, como seria normal. E se o Moçambola deve voltar a ter mais do que 14 clubes, então que se repesquem os dois melhores classificados da linha de água do último campeonato”, no caso o Maxaquene e o Chibuto, conforme argumenta.

A fonte tricolor, que até não se posiciona contra a vontade do secretário de Estado do Desporto, alerta para a tomada de uma decisão proporcional, justa e que não fira os regulamentos desportivos “e que não se privilegiem uns em detrimento dos outros”.

De recordar que Gilberto Mendes defende a integração política de um representante de Cabo Delgado no Moçambola, por forma a atenuar a situação critica por que passa aquela província, “bastante martirizada.

One comment

  1. A FIFA nao gosta nem tolera ingerencia politica no futebol e pune com suspensao as federacoes dos paises prevaricadores. Assim, que se quide a FMF. Sidat sabe disso.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s