CHEFE de Estado autoriza regresso das modalidades olímpicas

O Chefe de Estado moçambicano, Filipe Jacinto Nyusi, autorizou esta sexta-feira, 15 de Maio, o regresso aos treinos dos atletas das modalidades individuais em fase de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados de 2020 para o próximo ano devido à pandemia do novo coronavírus.

Numa comunicação ao País, no âmbito do balanço dos primeiros 15 dias da segunda fase do Estado de Emergência, Filipe Jacinto Nyusi anunciou o regresso à actividade das modalidades olímpicas, nomeadamente a de vela e canoagem, boxe, voleibol de praia, judo, taekwondo, atletismo e natação.

Segundo o estatista, com esta decisão devidamente aconselhada e ponderada, “está autorizada para a partir de amanhã, 16 de Maio, o regresso aos treinos dos atletas do alto rendimento e os respectivos treinadores que estejam em preparação para os Jogos Olímpicos”.

Filipe Nyusi clarificou que este regresso ao activo deve decorrer no âmbito da preparação aos Jogos Olímpicos de Tóquio, ora adiados de 2020 para os meses de Julho e Agosto do próximo ano. Os atletas, esses, estão devidamente identificados, conforme revelou.

Adiante, o Chefe de Estado definiu algumas medidas de restrição para este regresso, que ao que sublinhou não deverá ser de carácter competitivo, mas sim de treinamento individual até porque, segundo referiu, em todas as modalidades “é possível fazer-se ensaios sem que haja confrontos”.

Devem treinar individualmente, evitando sempre que possível o contacto directo, obedecendo sempre as regras de distanciamento. Devem igualmente evitar treinar em ambientes fechados e com pouca circulação do ar”, avançou.  

Para os devidos efeitos de observação das medidas de prevenção contra a infecção pelo novo coronavírus, este regresso será de todo monitorado e fiscalizado pelas Autoridades Sanitárias.

Ainda neste quadro, Nyusi exortou também as direcções das federações desportivas das modalidades abrangidas por esta abertura, clubes e academias, “a observarem o cumprimento das medidas definidas, sempre retendo que o mais importante, para nós, é a vida. A vida humana”.

Com esta abertura, pretendemos manter de forma progressiva a qualidade dos atletas moçambicanos, pelo facto de não implicar, em muitos casos, o contacto directo entre os mesmos”, fundamentou Filipe Jacinto Nyusi.

Sem fazer referência às outras modalidades colectivas, como o futebol, Filipe Jacinto Nyusi revelou que “os próximos 15 dias serão decisivos” para o relaxamento ou agravamento das medidas de restrição face ao avanço da pandemia da COVID-19 no País. Tudo depende do comportamento dos moçambicanos na observação das medidas de protecção e de prevenção. OC/David Nhassengo

4 comments

  1. […] Com um atraso de 21 dias, o Ministério da Saúde (MISAU), a Secretaria de Estado do Desporto (SED) e o Comité Olímpico de Moçambique (COM) decidiram, por fim, pôr em marcha o protocolo sanitário a ser observado para o regresso dos atletas do projecto olímpico aos treinos, ao abrigo das medidas de relaxamento para o desporto, anunciadas a 15 de Maio último pelo Chefe de …. […]

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s